TERAPIA DE INTEGRAÇÃO PSICOESPIRITUAL

AS INDICAÇÕES

Sintomas físicos: doenças crônicas, doenças repetitivas, tensão pré-menstrual, enxaquecas, tensões corporais, dores e problemas sem possibilidade de diagnóstico médico.

Distúrbio de sono, de alimentação.

Pesadelos persistentes.

Dificuldades ou bloqueios com relação à sexualidade, abusos sexuais.

Medos: medos conscientes e inconscientes, fobias, pânicos, síndrome de pânico.

Timidez, inibições, insegurança, culpa, covardia, autocensura, medo de errar, de se expor.

Compulsões, vícios, manias, comportamento autodestrutivo.

Ansiedade, angústia, depressão, apatia, tristeza crônica, passividade.

Ciúmes, possessividade, desconfiança.

Problemas de relacionamento familiar, conjugal, social ou profissional. Relacionamentos difíceis, dolorosos, entre cônjuges, pais e filhos, entre irmãos, etc.

Carência afetiva, medo da solidão, da rejeição e do abandono.

Sentimentos bloqueados.

Aversões diversas, contrariedades, revolta, agressividade, perda de controle.

Dificuldades financeiras, de concretizar e atingir objetivos.

Preocupação excessiva com o futuro.

Mediunidade descontrolada.

outros.

A TIP poderá auxiliar, também desenvolvendo novos potenciais, desbloqueando talentos e integrando a pessoa com o seu verdadeiro propósito da vida.

Apesar de ser utilizado o termo terapia de vidas passadas, algumas vezes o enfoque terapêutico se dá em situações traumáticas da vida atual e em situações específicas em outros níveis espirituais.

É importante ressaltar a diferença entre regressão e terapia de regressão. Regredir é relembrar o passado, seja desta ou de outra existência. Regredir, apenas, não produz necessariamente efeitos terapêuticos. A TIP utiliza técnicas específicas objetivando tirar proveito terapêutico das experiências relembradas.

A abordagem terapêutica irá trazer para a consciência os motivos do comportamento ou das dificuldades atuais. Neste processo estão incluídas as catarses, ou seja, a liberação de emoções e cargas bloqueadas no campo energético, nos chakras e no corpo físico, o discernimento e a elaboração do evento passado, de modo que tudo o que for relembrado seja completamente digerido e assimilado.

AS CONTRA-INDICAÇÕES

Existem algumas preocupações entre os leigos com relação aos perigos da terapia de regressão.

Uma delas é do cliente relembrar fatos que venham prejudicar mais do que ajudar, que o deixem se sentindo pior do que já se encontra. Existe um mecanismo de defesa do inconsciente que permite que o cliente só tenha acesso às lembranças que tenha capacidade e maturidade para elaborar. Pode ser que aflorem situações dolorosas e difíceis das quais ele necessita se libertar, mas jamais lembranças que o abalarão a ponto de deixá-lo desestruturado.

Outra preocupação é a possibilidade de se ficar "preso no passado e não voltar mais". Apesar de, na linguagem comum, utilizar-se a expressão: "volte no passado e reveja a causa dos seus problemas", o cliente não vai a lugar nenhum, apenas relembra e revivencia o passado, permanecendo fisicamente no consultório em estado ampliado de consciência. No final da sessão, o cliente sempre é conduzido ao estado de consciência da realidade comum, do "aqui-agora", perfeitamente orientado no tempo e espaço e em relação a si mesmo.

O terapeuta qualificado será capaz de lidar com qualquer dificuldade que o cliente apresentar seja durante ou depois da regressão e minimizar desconfortos.

Contudo, alguns cuidados devem ser tomados. Evita-se fazer a regressão com pessoas com problemas psiquiátricos graves que não conseguem distinguir a percepção da realidade comum da percepção de outros níveis de realidade, assim como, pessoas mentalmente incapacitadas ou que por algum problema não possam estabelecer uma boa comunicação com o terapeuta.

Não é recomendada para as mulheres na gravidez porque não se sabe até que ponto as revivências de situações traumáticas da gestante podem afetar o feto.

Os doentes cardíacos graves, as pessoas que têm histórico de epilepsia ou aquelas extremamente debilitadas por doenças em que exista recomendação médica para evitar o stress e as emoções fortes, sejam elas positivas ou negativas não poderão se beneficiar da terapia.

Não se trabalha, também, com pessoas que estão sob a influência de drogas ou álcool.

OS FATORES QUE PODEM DIFICULTAR A REGRESSÃO

A maioria das pessoas entra em regressão na primeira tentativa, porém algumas apresentarão dificuldades para relaxar e necessitaram de duas ou três sessões para obterem êxito.

Podem ser várias as causas que dificultam a regressão.

O medo de descobrir coisas desagradáveis ou culpas no passado pode dificultar a regressão.

A suposição da existência de vida passadas pode entrar em conflito com as crenças religiosas do cliente e impedir a regressão. Neste caso pode-se direcionar o trabalho como uma abordagem do inconsciente, onde todos os conteúdos que aflorarem poderão ser interpretadas como símbolos de conflitos e problemas do cliente.

As pessoas extremamente racionais, as pessoas rígidas, as pessoas muito exigentes consigo mesmas, as pessoas autocontroladas que possuem medo de perder o controle sobre o que possam sentir ou fazer e as pessoas com medo de expressar os seus sentimentos poderão ter mais dificuldade para regredirem.

Dificultará o processo regressivo quando o cliente não tem confiança no terapeuta ou possui uma visão equivocada acreditando que irá permanecer totalmente inconsciente durante a sessão completamente à mercê do terapeuta.

Algumas vezes o bloqueio pode ser causado por uma interferência externa. Um espírito desencarnado desconectado de sua luz interior que interfere porque não deseja a libertação do cliente. Neste caso ele pode dificultar ou confundir o processo regressivo.

COMO ACONTECE A REGRESSÃO

Na TIP, através de técnicas de alteração da consciência, o cliente, num estado de "transe terapêutico", pode "transitar" conscientemente por vários estados, níveis ou realidades de consciência. Ele permanece consciente e mantém o controle do processo durante todo o tempo. É preciso que ele esteja consciente para fazer as liberações necessárias e obter a compreensão da causa verdadeira de seus problemas.

Durante a regressão o cliente permanece num estado alterado de consciência, concentrado na voz do terapeuta e nas imagens e percepções das lembranças que no estado de consciência comum estão inconscientes, porém, ouvirá quaisquer outros sons que cheguem até a sala, completamente consciente de onde se encontra e o que está fazendo.

Existem várias técnicas que possibilitam alterar o estado de consciência e induzir ao transe terapêutico. A mais comum é realizada através de um relaxamento profundo, onde o terapeuta conduz o relaxamento com um tom de voz, calmo e repetitivo, num ambiente tranquilo. Depois de atingido o estado de relaxamento, no qual as ondas alfa, estado de vigília em repouso, predominam no cérebro, segue-se com uma indução através de imagens visuais. A indução pode ser estimulada, também, através de uma emoção, uma sensação física, uma palavra ou frase significativa para o cliente. Estas induções possibilitaram o cliente acessar as memórias do passado.

O processo de indução pode ser facilitado, também, com a utilização de toques em determinadas partes do corpo, de energia de cores, de cristais, de essências florais, de sons, de aromas e de imposição de mãos.

Energeticamente o processo de alteração de consciência se dá através do Chakra Frontal, que se localiza na testa. É através desta glândula que se pode ter acesso aos diversos níveis de frequência.

Receba nossos informativos




 

Área dos alunos