OS CORPOS ENERGÉTICOS E OS CHAKRAS

Jorge Salum


Tudo que existe e se manifesta no plano físico, desde uma pedra, uma planta, os animais, até os seres humanos, possui também uma manifestação energética mais sutil, um de campo energético.

A física quântica explica que tanto a matéria quanto a luz vibram em determinadas frequências. Quanto menor for a frequência de vibração da matéria mais densa ela se apresentará. Quanto maior for a sua frequência de vibração menos densa ou mais sutil ela será. Os cientistas utilizam a frequência de vibração da luz como uma referência para determinar o que é matéria e o que são energias mais sutis. 

Todas as manifestações físicas que podem ser percebidas com os cinco sentidos vibram numa freqüência abaixo da freqüência de vibração da luz. Porém, o que chamamos de campo energético é uma manifestação da energia que vibra numa freqüência acima da frequência de vibração da luz e que não pode ser percebida através dos cinco sentidos. 


Corpos Energéticos Inferiores

Vibrando numa freqüência de vibração mais acelerada que o corpo físico, existe um corpo mais sutil chamado de Corpo Etérico. Ele é uma cópia energética do corpo físico, tanto anatomicamente quanto fisiologicamente, e a ele se interpenetra. O Corpo Etérico interage energeticamente orientando o crescimento, o desenvolvimento e a manutenção da saúde do corpo físico. Nele as doenças podem se manifestar semanas, meses ou, até mesmo, anos antes de serem somatizadas. É nele que atuam, predominantemente, as terapias energéticas, também chamadas de terapias vibracionais, tais como a homeopatia e a acupuntura, harmonizando as disfunções energéticas neste nível, para que, então, a cura possa se reestabelecer no nível físico. Estas terapias podem, até mesmo, prevenir doenças, eliminando-as deste corpo antes delas se manifestarem no corpo físico. 

Vibrando numa freqüência mais acelerada que o Corpo Etérico se encontra o Corpo Emocional. Ele está relacionado com as nossas emoções e sentimentos, pois nele se encontram as cargas emocionais relacionadas com as crenças da nossa personalidade, assim como nossos padrões emocionais de reação. 

O Corpo Mental vibra numa frequência mais acelerada que o Corpo Emocional e representa os nossos aspectos cognitivos. Os pensamentos, ideias e os conhecimentos racionais e intuitivos são controlados por ele. Nele ficam armazenados o nosso sistema de crenças, os padrões mentais da nossa personalidade. 

As interações energéticas entre os corpos fazem com a que as disfunções energéticas que se encontram no Corpo Mental gerem desequilíbrios no Corpo Emocional, que por sua vez influenciará no desequilíbrio do Corpo Etérico, o que desencadeará na somatização de uma doença no corpo físico. Este processo é chamado de “efeito cascata”.

É no Corpo Emocional e no Corpo Mental onde atuam, predominantemente, as terapias energéticas em geral, tais como: terapia floral, cromoterapia, cristaloterapia, terapia de regressão de memória à vida intrauterina, à infância e às vidas passadas, técnicas de imposição de mãos como o Reiki, o Magnified Healing, a Cura Eletrônica, a Cura Prânica, entre outras. O objetivo destas terapias vibracionais é recuperar a harmonia energética nestes níveis, para que ela possa se manifestar, também, por “efeito cascata” no corpo físico.

O corpo físico, o corpo etérico, o corpo emocional e o corpo mental recebem a denominação de corpos energéticos inferiores, porque a vibração da frequência deles é considerada mais densa e mais lenta que a frequência de vibração dos corpos denominados superiores. É importante ressaltar que a configuração dos corpos inferiores representam a nossa personalidade, o nosso ego, enquanto a configuração dos corpos superiores representam a nossa natureza divina.


Corpos Energéticos Superiores

Os corpos energéticos superiores não apresentam desarmonia, pois representam a expressão da nossa natureza espiritual. 

O Corpo Crístico, vibrando numa frequência mais acelerada que o Corpo Mental, é a nossa identidade espiritual. É chamado, também, de Eu Superior e representa o nosso Modelo Original de Perfeição, pois é a fonte de nossa sabedoria e de todas as nossas potencialidades divinas. 

Vibrando numa frequência acima do Corpo Crístico se encontra o Corpo Causal que representa o aspecto feminino de Deus. É nele que se encontram os Sete Dons do Espírito Santo. Vibrando acima dele se encontra o Corpo Eletrônico, também chamado de Presença Divina que representa o aspecto masculino de Deus. Como as dimensões do planeta Terra se encontram envolvidas pela realidade polarizada, para que aqui possa ser manifestada qualquer criação é necessário existir uma parte feminina e a sua contraparte masculina. Os princípios Taoístas explicam que do Tao – a Fonte – se originam duas forças polarizadas e complementares, a energia Yin, feminina e a energia Yang, masculina que são as forças criadoras que interagem e produzem a vida. Da mesma maneira, através de Deus é manifestado o aspecto do Pai Divino, o Corpo Eletrônico, assim como o aspecto da Mãe Divina, 

o Corpo Causal que interagem entre si e criam o Filho Divino, o Corpo Crístico. Os três representam a Trindade Divina e a nossa natureza espiritual.

Todos os corpos sutis se interpenetram entre si e estão conectados entre si e ao corpo físico através dos chakras. O conjunto de todos estes corpos sutis é chamado de aura.

 

Os Chakras

Os chakras são órgãos energéticos que absorvem a energia vital abundante no universo, a qual é chamada de prana ou de ki pelos orientais. Os chakras absorvem a energia vital transformando-a e redistribuindo-a entre todos os corpos mais sutis em suas diferentes frequências de vibração. 

Assim como existem órgãos e glândulas físicas que regulam o metabolismo no corpo físico, os chakras podem ser considerados órgão e glândulas energéticas que regulam o “metabolismo energético” dos corpos mais sutis e os conectam com o corpo físico.

Assim como o sangue deve fluir por todo o nosso organismo físico e nutrir com oxigênio cada uma de nossas células, a energia vital deve fluir livremente através de nosso sistema energético e nutrir adequadamente os nossos chakras e os nossos corpos energéticos.  Pois, a nossa saúde física e o bem estar mental e emocional dependem da boa fluidez da energia vital através do nosso sistema energético.


Os Chakras e a Personalidade

A configuração de cada um dos nossos chakras nos fornece aprendizados espirituais específicos a serem desenvolvidos. Neles se encontram registradas todas as memórias desta vida e de vidas passadas, traumas, bloqueios, padrões mentais e emocionais, crenças conscientes ou inconscientes que definem a nossa personalidade, ou seja, a maneira como nos colocamos no mundo, como vemos a nós mesmos, a nossa autoestima, como nós vemos os outros, como interpretamos a realidade, como reagimos às atitudes das outras pessoas, às situações e aos eventos que acontecem na nossa vida.

Podemos pensar nos chakras como uma “glândula energética”, que está relacionada com aspectos do aprendizado espiritual, que tem atuação sobre determinadas partes, órgãos e glândulas do corpo físico. Tal qual uma glândula física, o chakra pode se apresentar, quando em desequilíbrio, hipoativo ou hiperativo. A nossa personalidade, nossas crenças conscientes ou inconscientes, interfere no fluxo de energia dos chakras determinando a hipoatividade ou hiperatividade deles.

O ato de uma pessoa evitar um determinado aprendizado espiritual pode levar o chakra à hipoatividade e, consequentemente, diminuir fluxo de energia através dele. É quando se diz que o chakra está bloqueado ou com falta de energia. No nível físico a hipoatividade pode manifestar-se na forma de uma lesão degenerativa, destrutiva ou cancerosa nos órgãos associados ao chakra que está privado do fluxo normal de energia.

Por outro lado, dar excessiva atenção a um determinado aprendizado espiritual pode estimular em excesso o fluxo energético através dele. O excesso de atividade de um chakra pode causar hiperestimulação das glândulas e partes do corpo associadas a ele, estimulando uma superprodução de células, na forma de crescimento de tumores e inflamações e outros distúrbios.

Os padrões mentais e emocionais da nossa personalidade, nossas crenças, conscientes ou inconscientes, interferem no fluxo da energia vital em nossos chakras e corpos energéticos, determinando tendências da nossa personalidade que nos trazem desconfortos e sofrimentos e estimulando o desenvolvimento de determinadas doenças.

 

OS SETE CHAKRAS PRINCIPAIS

Possuímos sete chakras principais e, abaixo, vamos relacioná-los com aprendizados espirituais, com padrões mentais e emocionais da personalidade e com órgãos e partes do nosso corpo físico.

Chakra da Base

Vibra na frequência da cor vermelha e localiza-se no final da coluna entre o cóccix e o períneo. 

Está relacionado com as questões de sobrevivência, de segurança pessoal e autopreservação, entre elas: obtenção de dinheiro e de alimentos, conquista de um lugar onde se possa encontrar abrigo e sentir-se seguro.

Governa os instintos terrenos necessários para a sobrevivência física, bem como o meio para consegui-los. É o chakra que desencadeia o impulso para ação, estimula a pessoa a “ir à luta”. Promove força de vontade, resistência e perseverança para enfrentar as dificuldades. Confere ambição, objetivos e a garra para atingi-los. Estimula a capacidade de realizar e concretizar no plano físico. Por isso ele é considerado o chakra da abundância.

Também chamado de Chakra Raiz porque é através dele que nos conectamos com a vida no corpo físico, com a Mãe Terra o que nos garante a sensação de sermos acolhidos pelo planeta, pela vida e nos sentirmos seguros para desfrutarmos da nossa existência.

Considerado como a âncora da pessoa no mundo, reflete o grau com que a pessoa se sente ligada ao planeta Terra e à vida, a quantidade de energia e a vontade de viver na realidade física. Propicia a potência física, a disposição, o ânimo e o senso de realidade.
O chakra da base tem um papel importante com relação à vitalidade geral do organismo, pois a energia que ele capta da Terra é fundamental para estimular todos os outros chakras, todo o sistema energético e consequentemente, todo o corpo físico.

Como o aprendizado espiritual do chakra da base está relacionado com a luta pela sobrevivência e segurança material, se estas questões estão fluindo na vida uma pessoa sem grandes dificuldades ou conflitos é porque a energia vital está fluido adequadamente através deste chakra. Porém, muitas vezes ele pode estar hipoativo ou hiperativo.

Quando o chakra da base de uma determinada pessoa se encontra hipoativo ela apresentará uma grande insegurança em relação a sustentar a si e a família, ou seja, existe uma dificuldade excessiva com relação às questões materiais. A vida profissional e financeira desta pessoa tenderá a não se desenvolver satisfatoriamente.

Ela poderá apresentar dificuldade para conseguir trabalho ou para se manter nele. Ela tenderá evitar ou desanimar-se facilmente diante das dificuldades e obstáculos referentes a estas questões. 

Dificuldades com relação à objetividade, foco, praticidade e concretização podem ser outras características de uma pessoa que apresenta o chakra da base hipoativo. Falta força interior e determinação para “ir à luta”, conseguir superar as dificuldades e atingir os seus objetivos.

Tende a possuir um fraco instinto de conservação e de autoproteção o que poderá, conscientemente ou inconscientemente, gerar a sensação de que o mundo é um lugar ameaçador.

Sentimentos de apatia, fraco vínculo com a vida, falta de vontade de viver, cansaço constante, fraqueza, preguiça e tendência à procrastinação, também, podem se apresentar como características.

Por outro lado, quando o chakra da base se presenta hiperativo a grande insegurança em relação a sustentar a si e a família e sensação de que o mundo é um lugar ameaçador, também, existirão, porém a pessoa tenderá a atuar de maneira oposta. Neste caso ela apresentará uma intensa força de vontade, determinação e capacidade de concretização para conseguir trabalho, dinheiro e bens materiais, porém sempre com muita ansiedade com relação a atingir estes objetivos.

A vida profissional e financeira desta pessoa tenderá a não se desenvolver satisfatoriamente ou ela poderá ter muito sucesso nestas áreas. Mas, mesmo que ela consiga um grande sucesso na vida profissional e conquiste grandes patrimônios, a preocupação e o medo da carência material sempre estarão presentes, conscientemente ou inconscientemente, gerando ansiedade e angústia.

A hiperatividade do chakra da base poderá se apresentar também como inquietação, hiperatividade, impaciência, irritabilidade, tensão mental, tensão física, nervosismo, apego e possessividade excessiva com relação às questões materiais.

Algumas vezes, se a personalidade ainda não desenvolveu o aprendizado de outras questões espirituais, ela poderá usar a grande força interior unida à violência, à ganância, à agressividade para atingir os seus objetivos. Poderá passar por cima de outras pessoas, apropriar- se indevidamente de pertences de outras pessoas ou até mesmo matar para obter um proveito material.

As emoções de raiva e medo são predominantemente expressas através deste chakra.

Fisicamente o chakra da base está relacionado com: sistema estrutural, músculos, ossos, coluna vertebral, medula óssea, produção e qualidade do sangue, parte inferior da pelve, ânus, reto, pernas e pés e a região sacrococcígea da coluna vertebral.


Chakra Sexual

Vibra na frequência da cor laranja e localiza-se na região situada entre o umbigo e o osso púbico. 

Está relacionado com a capacidade do ser humano de sentir e desfrutar o prazer de estar num corpo físico. Os prazeres sensoriais: a visão, o tato, o paladar, o olfato e a audição. O prazer que a admiração do belo proporciona aos olhos, que a música proporciona aos ouvidos, que a comida proporciona à língua, que o aroma proporciona ao nariz e o que o toque proporciona ao corpo. O aprendizado deste chakra é a capacidade de desfrutar plenamente de todos estes prazeres que o corpo físico e o mundo proporcionam.

Entre todos os prazeres físicos, o prazer sexual é o mais intenso, por este motivo ele representa um papel importante no bem-estar do ser humano.

A configuração do chakra sexual determina a vitalidade sexual do ser humano, a capacidade dele sentir a própria força sexual, como ele vivencia e expressa a sua sexualidade e como ele desfruta do prazer sexual.

Todas as memórias, conscientes ou inconscientes, de experiências relacionadas ao sexo, traumas e abusos sexuais ficam registradas neste chakra.

Este chakra representa, também, a criatividade relacionada com a perpetuação da espécie, a procriação.

Se a energia vital flui sem bloqueios expressivos no chakra sexual de uma pessoa, ela se encontra aberta à intimidade sexual, sente-se à vontade com relação às suas sensações e desejos sexuais e consegue se expressar sexualmente de maneira satisfatória. A pessoa tem consciência de sua força sexual e usa este poder para a sua satisfação e compartilha-o visando a satisfação de outra pessoa, conseguindo conectar a energia sexual com a afetividade.

Quando o chakra sexual de uma pessoa se encontra hipoativo ela reprimirá a energia sexual e apresentará um impulso sexual fraco, tendência a evitar o ato sexual e negar a importância e o prazer que ele proporciona. Ela poderá apresentar medo da proximidade física, medos e inseguranças com relação à sexualidade, repugnância pelo seu próprio corpo ou pelo sexo, assim como relacionar as sensações sexuais e o próprio ato em si com vergonha, com pecado, com culpa, com sentimento de impureza. 

A hipoatividade do chakra sexual pode gerar dificuldade de alcançar o orgasmo, tanto no homem como na mulher, assim como, frigidez, ejaculação precoce ou incapacidade de ereção.

Por outro lado, quando o chakra sexual se encontra hiperativo a pessoa pode apresentar uma impulsividade sexual exagerada, a qual exige uma grande demanda de relações sexuais ou de masturbação. Poderá tender a encarar os relacionamentos apenas a partir dos aspectos sexuais, tendo dificuldade de vincular o afeto a estes relacionamentos.

A hiperatividade do chakra sexual pode gerar uma grande insatisfação sexual na pessoa, independente da quantidade exagerada que ela se dedique as atividades sexuais.

Algumas vezes, a hiperatividade ou hipoatividade deste chakra pode levar a pessoa compensar a necessidade de sentir o prazer sexual através de outros prazeres sensoriais, apresentando, por exemplo, uma necessidade compulsiva por comidas, principalmente comidas doces.

As emoções de raiva e medo são, também, predominantemente expressas através deste chakra.

Fisicamente o chakra sexual está relacionado com: testículos, ovários, os órgãos reprodutores, a próstata, os rins, a bexiga, o intestino grosso, o cólon e a região sacrolombar da coluna vertebral.


Chakra do Plexo Solar

Vibra na freqüência da cor amarela e localiza-se na região do abdome, entre o osso esterno e o umbigo. 

Está relacionado com a identidade pessoal do ser humano, a sua autoimagem, a consciência do seu valor pessoal, a autoconfiança e a autovalorização necessárias para assumir o comando da própria vida. 

Governa o senso de poder pessoal no mundo, a sensação de controle sobre a própria vida e a afirmação das vontades, necessidades e objetivos pessoais.

Poder pessoal é o aprendizado deste chakra e nele se encontram as configurações que determinam como a personalidade vê a si mesma, ao mundo e as outras pessoas e como ela se coloca diante das outras pessoas e diante do mundo nas questões de liderança e poder, dominação e submissão.

Se a energia vital flui sem bloqueios expressivos no chakra do plexo solar de uma pessoa, ela acredita em seu valor pessoal e assume o controle de sua própria vida. Ela é fiel a quem ela é, à sua individualidade, às suas necessidades e às suas vontades. Consegue colocar limites nas outras pessoas quando estas desrespeitam a sua individualidade ou tentam limitar o seu poder diante de sua própria vida, assim como respeitam a individualidade das outras pessoas. 

Se o chakra do plexo solar de uma pessoa se encontra hipoativo, ela tenderá a ser insegura, covarde, tímida, sem confiança no seu discernimento, sem confiança em sua capacidade de realizar os seus projetos. Poderá possuir sentimentos de inferioridade, de fracasso e de vergonha com relação às outras pessoas. Preocupa-se demais com a opinião que os outros possuem sobre ela. Falta confiança em si mesma para tomar decisões, para defender os seus direitos, seus desejos e suas necessidades diante de outras pessoas. Sente-se incapaz, impotente, inadequada e fracassada diante da vida e das outras pessoas. Desta maneira, abre mão do seu poder pessoal, do controle de sua própria vida e se submete aos desígnios e vontades de pessoas que possuem uma individualidade mais forte. Apresenta dificuldade para dizer não para estas pessoas e delimitar os espaços que estas não devem ultrapassar com relação à sua individualidade.

Por outro lado, se o chakra do plexo solar de uma pessoa se encontra hiperativo, ela saberá utilizar o seu poder pessoal, porém tenderá a abusar deste poder, desrespeitando a individualidade de outras pessoas. Manipulará pessoas que possuem a sua individualidade enfraquecida, interferindo em suas decisões e submetendo-as às suas próprias necessidades, vontades e desejos. O poder pessoal tenderá a se expressar com agressividade, presunção, arrogância e desprezo pelas necessidades e desejo das outras pessoas. 

As emoções de raiva e medo são, também, predominantemente expressas através deste chakra. O desequilíbrio poderá se apresentar através do excesso de tensões físicas e mentais, ansiedade, nervosismo, agitação, impaciência, preocupação, insegurança e agressividade.

Fisicamente o chakra do plexo solar está relacionado com: órgãos de digestão, assimilação e eliminação, sistema digestivo, estômago, esôfago, fígado, vesícula biliar, pâncreas, baço, apêndice, intestino delgado, diafragma e a metade inferior da região torácica da coluna vertebral. 


Chakra Cardíaco

Vibra na frequência das cores verde e, também, na frequência da cor rosa quando expressamos o amor incondicional, localiza-se no centro do peito sobre o osso esterno. 

O chakra cardíaco está relacionado com a capacidade de sentir, de expressar, de receber o amor. O amor que une os seres humanos nos diversos relacionamentos. O amor fraterno, o amor romântico, assim como o amor pelos animais e pela natureza.

Neste chakra se encontra o aprendizado da expressão mais elevada do amor que é o amor incondicional. É o centro pelo qual se ama e sente-se compaixão pelos outros. 

Para que um ser humano possa amar incondicionalmente outro ser é necessário primeiro ele aceitar incondicionalmente o outro exatamente como ele é. Porém, para que ele possa aceitar o outro exatamente como é e amá-lo incondicionalmente, é imprescindível que primeiro ele se aceite incondicionalmente como é, ou seja, se ame incondicionalmente. Por este motivo o chakra cardíaco está intimamente relacionado com a autoestima e a autoaceitação. A capacidade de manifestar o amor incondicional pelo próximo, de nutrir e doar-se ao outro é proporcional à capacidade de amar e de cuidar de si mesmo.

Se a energia vital flui sem bloqueios expressivos no chakra cardíaco de uma pessoa ela está aberta para dar e receber o amor nos seus relacionamentos. Apresenta uma autoestima sadia que possibilita sentir empatia para consigo mesma e para com o outro e, desta maneira, consegue cuidar de si mesma e do outro de maneira equilibrada.

Se o chakra cardíaco de uma pessoa se encontra hipoativo ela terá uma dificuldade muito grande para se doar nos seus relacionamentos e para expressar a sua afetividade. A capacidade de ter empatia com relação à outra pessoa vai estar reduzida, por isso vai ter dificuldade de se colocar no lugar dela e perceber suas necessidades afetivas. Tenderá à autopiedade, ao ciúme, a possessividade. 

Uma pessoa que se encontra com este chakra hipoativo, consciente ou inconscientemente, acredita que o outro é responsável pela sua felicidade e o seu bem-estar e que a manutenção do relacionamento se dá com o outro devotando a sua vida a ele. Por este motivo tenderá a desrespeitar e desconsiderar os sentimentos da outra pessoa, a ter uma atitude crítica e intolerante, não apresentará gratidão pelo afeto que recebe, nem tenderá a retribuí-lo e, muitas vezes, por mais que receba, nunca estará satisfeita e exigirá sempre mais da outra pessoa.

Se o chakra cardíaco de uma pessoa se encontra hiperativo ela vai expressar constantemente o seu afeto e se doar incansavelmente no seu relacionamento, porque, consciente ou inconscientemente, ela acredita que é responsável pela felicidade do outro e pela manutenção do relacionamento. Irá utilizar da sua empatia para perceber os desejos e necessidades do outro e satisfazê-lo. Fará tudo que for possível para agradar o outro e aceitará muito agradecida o pouco que o outro estiver disposto a oferecer. 

A falta de amor próprio, de autoestima e a carência afetiva farão com que a pessoa se torne complacente e aceite facilmente a falta de respeito e de desconsideração da outra pessoa e, algumas vezes também, a infidelidade e o comportamento agressivo.

São temas do desequilíbrio do chakra cardíaco: egoísmo, carência afetiva, dependência emocional, medo de ser rejeitado, de perder o afeto, dificuldade de perdoar, as decepções amorosas e os sentimentos de culpa, mágoa, tristeza e raiva.

Fisicamente o chakra cardíaco está relacionado com: coração, circulação, veias, artérias, pulmões, timo, sistema imunológico, sistema linfático, gânglios linfáticos, seios e a metade superior da região torácica da coluna vertebral. 


Chakra Laríngeo

Vibra na frequência da cor azul e localiza-se na região da garganta. 

Está relacionado com a comunicação, com a capacidade de expressão dos pensamentos, dos sentimentos, as intuições e a criatividade em geral.

A configuração do chakra laríngeo determina a vontade de se comunicar e de se expressar para as pessoas e para o mundo. 

É o centro do aprendizado da expressão da individualidade, das verdades pessoais, dos sentimentos e dos pensamentos e, também, da expressão do amor. É através dele que o ser humano expressa quem é, o que sente, o que pensa e assume a responsabilidade por isso.

Através deste chakra se expressa, também, a intuição que provêm de todas as formas de percepção extra-sensorial do chakra frontal, assim como a sabedoria superior, a verdade oriunda da Essência Divina que habita em cada um de nós.

É considerado o centro da criatividade superior responsável pela expressão da inspiração artística em geral: música, dança, pintura, escultura, teatro, poesia, literatura, etc.

Se a energia vital flui sem bloqueios expressivos no chakra laríngeo de uma pessoa a sua fala se apresenta fácil e fluente, pois ela sente-se segura em expressar com clareza a sua verdade, quem ela é, seus pensamentos e sentimentos, sem a necessidade exagerada de falar de si mesma e, ao mesmo tempo, se encontra aberta e disposta para ouvir e compreender as outras pessoas.

A hipoatividade ou a hiperatividade deste chakra depende da configuração dos chakras anteriores, principalmente do chakra do plexo solar - o poder pessoal e do chakra cardíaco - a autoestima.
 
Uma pessoa que se encontra com este chakra hipoativo terá dificuldade de se comunicar com outras pessoas, de falar sobre si mesma, de expressar suas ideias, sentimentos e necessidades. Poderá ter pouca clareza na comunicação, poderá apresentar até mesmo problemas com a fala e dificuldade de ser compreendida. Os sentimentos não expressos adequadamente tenderão a ficar reprimidos nesta região. Geralmente as tristezas e mágoas tenderão a ficar reprimidas na região da garganta - o “nó na garganta”, as lágrimas que não são choradas. As raivas e indignações tenderão a ficar reprimidas na região do pescoço e dos ombros.

Uma pessoa que se encontra com este chakra hiperativo apresentará uma necessidade exagerada de se expressar, de falar sobre si mesma, de seus pensamentos, das coisas que acontecem em sua vida, de seus problemas, do que está acontecendo no mundo e na vida das outras pessoas, ao mesmo tempo em que terá pouca disposição para ouvir o que os outros têm a dizer. Tenderão a cansar e aborrecer os seus interlocutores com a sua fala intermitente e muitas vezes desprovida de conteúdo interessante.

Fisicamente o chakra laríngeo está relacionado com: região da garganta, glândulas tireoide e paratireoide, boca, dentes, gengivas, articulação temporomandibular, cordas vocais, traqueia, laringe, faringe, pescoço e as vértebras cervicais.


Chakra Frontal

Vibra na freqüência da cor azul índigo, é também conhecido como o “terceiro olho” e localiza-se na região do centro da testa. 

Está relacionado com a razão, o intelecto, a concentração mental e a memória, assim como com a habilidade intuitiva e as percepções extra-sensoriais, entre elas: telepatia – capacidade de perceber o que se passa na mente do outro; clarividência – capacidade de visualizar acontecimentos e objetos à distância; premonição – capacidade de obter conhecimento sobre um futuro evento; retrocognição – visão de fatos passados, mediunidade – capacidade de interação entre os diferentes níveis de realidade; psicometria – capacidade de captar informações sobre alguém ou uma localidade ao entrar em contato com um determinado objeto físico, entre outras.

O chakra frontal possibilita a introvisão, a visão interior, a capacidade de alterar o estado de consciência para se lembrar das vidas passadas e para se entrar em contato com outros níveis de frequência e de realidades.  

É este chakra que recebe as informações captadas de nossa Essência Divina pelo chakra da coroa que possibilita o discernimento a partir da ligação da mente racional com a sabedoria divina. Desta maneira podemos obter uma visão de nós mesmos, dos acontecimentos pessoais e do mundo a partir de um ponto de vista superior. Esta conexão permite extrair a sabedoria e os aprendizados das experiências da vida.

O aprendizado deste chakra é a integração harmônica entre a razão e a intuição, ou seja, o equilíbrio da percepção e expressão do hemisfério cerebral esquerdo e do hemisfério cerebral direito. 

Uma pessoa que se encontra com este chakra hipoativo apresentará um excesso de intelectualismo, a mente racional é predominante e para ela é impossível acreditar em algo que ela não possa perceber com os cinco sentidos. Ela se encontra privada da sua intuição e das suas percepções mais sutis. Para esta pessoa, por exemplo, é inconcebível estudar um assunto como este sobre os chakras, pois ela não encontra referência entre os cinco sentidos e a razão para que possa cogitar e compreender a ideia da existência de algo assim tão imaterial. 

Por outro lado, uma pessoa que se encontra com este chakra hiperativo apresentará a percepção intuitiva excessiva, porém com pouca influência da mente racional, o que acarretará para ela falta de discernimento das percepções intuitivas que recebe e tendências à fantasia e à fuga da realidade. Com a razão enfraquecida ela não conseguirá discernir adequadamente sobre as percepções que a mediunidade em desequilíbrio captar. As informações oriundas de suas percepções extra-sensoriais, sejam memórias de vidas passadas, percepções da energia de lugares e de outras pessoas, de outras dimensões e realidades, de espíritos desencarnados e outras percepções sutis sem o correto discernimento poderão leva-la, literalmente, à loucura e à insanidade mental.

Algumas características que expressam o desequilíbrio deste chakras: agitação mental, atividade mental excessiva, preocupação exagerada, dificuldade de raciocínio, confusão mental, problemas de concentração e de memória. 

Fisicamente o chakra frontal está relacionado com: glândula hipófise, responsável pela regulação das atividades de várias outras glândulas, sistema endócrino, rosto, olhos, ouvidos, nariz, seios paranasais.


Chakra Coronário

Vibra na freqüência da cor violeta, também chamado de Chakra da Coroa e localiza-se no topo da cabeça. 

Assim como o chakra da base conecta o ser humano com a terra, o chakra da coroa conecta-o com o céu, com a sua Essência Divina, o seu Eu Superior, com a sua espiritualidade e integra o seu ser em todos os seus aspectos: físico, emocional, mental e espiritual.

O chakra da coroa é o ponto de entrada da energia divina que está ligada diretamente a Deus, à Fonte de tudo que existe e que cria a vida e anima o corpo físico e os corpos sutis.

A conexão plena com o divino permite a percepção de uma consciência cósmica e universal, promove o sentido de unidade e de totalidade que permite ao ser humano perceber Deus em si mesmo, em todos os seres, na natureza e em todos os eventos, assim como o possibilita reconhecer a sua identidade espiritual e encontrar o verdadeiro sentido de sua existência. 

Esta energia que recebemos do divino através do chakra da coroa é o Amor, o verdadeiro amor incondicional, que se manifesta através da frequência da cor rosa no chakra cardíaco, mas pode ser chamado, também, de Energia Crística, entre outros nomes conforme a abordagem espiritual específica. 

Uma pessoa que se encontra com este chakra hiporativo não consegue perceber um sentido maior para a sua existência, apresenta-se cética e indiferente a qualquer ideia que corresponda à religiosidade ou à espiritualidade. O sentido da vida é simples para ela: nascer, crescer, trabalhar, casar, ter filhos, morrer e tudo acabar. Possui dificuldade para compreender quando as outras pessoas falam de suas experiências espirituais. O chakra da coroa começa a se abrir quando a pessoa começa a sentir uma sensação de vazio e falta de sentido para a sua existência e a necessidade de encontrar um propósito maior para sua vida. Começa a ter consciência de que é algo mais do que apenas um corpo físico e inicia uma busca que pode ser filosófica, religiosa ou espiritual visando encontrar algo que possa preencher este vazio existencial.

Por outro lado quando este chakra se encontra hiperativo a pessoa poderá se entregar ao fanatismo religioso ou espiritual, à contemplação excessiva do divino e, desta maneira, perder a conexão com a realidade.

O chakra da coroa está fisicamente relacionado com a glândula pineal, o funcionamento geral do cérebro e do sistema nervoso.


Além destes sete chakras principais, existem outros chakras menores situados nas palmas das mãos, nas solas dos pés, em outras regiões do corpo, assim como chakras maiores situados em  corpos mais sutis. Até mesmo os pontos utilizados pela acupuntura podem ser considerados como microchakras. Porém, estes sete chakras são os mais importantes para a compreensão de como eles podem representar a personalidade individual de cada pessoa, as lições espirituais da alma e as doenças no corpo físico.


NUTRIÇÃO ENERGÉTICA

Assim como o corpo físico necessita do oxigênio que recebe através da respiração e dos nutrientes que recebe dos alimentos para manter o seu metabolismo em bom funcionamento, os corpos energéticos e os chakras necessitam de energia vital para manter a nutrição e o bom funcionamento do metabolismo energético. 

A energia vital, também, é encontrada no ar e nos alimentos. No mesmo momento que respiramos e absorvemos o oxigênio contido no ar, o prana, a energia vital que vibra numa frequência de vibração mais acelerada que a luz, é absorvida através dos chakras. Quando comemos, por exemplo, uma cenoura, esta contém um corpo energético mais sutil, que é a energia vital que vai ser absorvida pelos chakras.

É importante termos, além de uma boa nutrição física, também, uma boa nutrição energética. É necessário desenvolvermos o hábito de respirar de uma maneira mais ampla e consciente, assim como privilegiarmos uma nutrição com alimentos que tenham uma grande quantidade de energia vital.

Os alimentos processados industrialmente perdem a energia vital e tornam-se apenas nutridores do nosso corpo físico e deixando o metabolismo energético carente de nutrição.

Todos nós temos como aprendizado em cada encarnação desenvolver a maestria sobre determinados padrões mentais e emocionais que fazem parte da nossa personalidade. Quando o nosso sistema energético fica privado de nutrição adequada vamos apresentar uma maior dificuldade para desenvolver esta maestria. Por exemplo, se uma pessoa necessita desenvolver a maestria sobre a tendência que a sua personalidade apresenta à indignação e à raiva, ela vai ficar muito mais propensa à impulsividade e à agressividade. Ou ainda, se a tendência da personalidade de uma pessoa é o pessimismo e o desânimo ela irá ficar mais facilmente propensa à depressão.

Devido a estes fatos, todas as pessoas que estão buscando desenvolver a sua espiritualidade devem optar por uma alimentação rica em energia vital e, sempre que possível, evitar alimentos processados industrialmente ou pobres em energia vital e dar preferência a legumes, verduras e frutas que são ricos em energia vital.

Além da energia vital presente no ar e nos alimentos, temos outra fonte importante de energia vital que provém da energia sutil de nosso Eu Superior. Recebemos esta energia divina através da abertura do chakra da coroa que a distribui por todo o nosso sistema energético nutrindo todos nossos chakras e os nossos corpos sutis.
 
Estamos mais abertos para receber esta nutrição espiritual quando estamos relaxados, quando dormimos ou quando estamos em estado meditativo, o qual o diminui o fluxo de pensamentos em nossa mente.

A meditação, as orações, os mantras e determinados exercícios e práticas espirituais auxiliam na mudança da frequência de nossos chakras e corpos sutis para que nós possamos estar abertos para receber a energia nutridora de nossa Essência Divina com maior facilidade e em maior quantidade.

Receba nossos informativos




 

Área dos alunos