Terapia de Integração Psico Espiritual – Terapia de Vidas Passadas – A Escola da Alma

Terapia de Integração Psico Espiritual – Terapia de Vidas Passadas

A Escola Da alma

A Terapia de Integração Psicoespiritual uma abordagem que utiliza a regressão de memória e a Terapia de Vidas Passadas não está relacionada com nenhuma doutrina ou religião, porém, como “pano de fundo” de todo o processo terapêutico, existem alguns princípios espiritualistas que norteiam o trabalho.

Somos seres espirituais em busca de aperfeiçoamento e evolução. Este ser espiritual, que pode ser chamado, também, de alma, necessita estar num corpo físico para obter os aprendizados que possibilitam a evolução.

Uma analogia, que pode ajudar a facilitar a compreensão, é da alma como um estudante que está fazendo o seu mestrado numa grande universidade que é o planeta Terra. Para que ela possa frequentar a universidade necessita de um corpo físico. O corpo físico é um material escolar indispensável cada vez que se inicia um novo “ano letivo”. Quando acaba o ano letivo a alma deixa o corpo físico e retorna para o plano espiritual onde tira um período de férias, descansa e repõe as energias. Após, ela faz as avaliações do último ano escolar e o planejamento dos “conteúdos” para o próximo ano letivo.

A alma, através deste processo, busca realizar o seu “mestrado”. Atingir a maestria em alguns aspectos no plano da matéria e, consequentemente, evoluir no plano espiritual. Depois que ela tiver obtido o grau de Mestre não haverá mais necessidade de encarnar. Ela poderá continuar o seu desenvolvimento orientando e auxiliando os “mestrandos” do plano físico a partir do plano espiritual, através de denominações por nós conhecidas como Mestre, Orientador, Mentor e outras, ou, ainda, fazer o “doutorado” em outros níveis espirituais.

Toda vez que a alma deixa de ter um corpo físico, de acordo com o grau de entendimento, vai ser conduzida para determinados lugares no plano espiritual onde, num primeiro momento, vai receber assistência de outras almas e mestres que a ajudarão na transição e na adaptação para o estado de consciência do plano espiritual. Esta assistência objetiva a estabilização dos estados mentais e emocionais que estiverem em desarmonia em consequência das experiências da última existência e da própria morte. Neste momento ela obtém alívio de todas as dores, temores ou desconfortos físicos e emocionais que ela possa estar apegada.

Depois que a alma é consolada e revitalizada, recuperando o equilíbrio no plano espiritual, com o auxílio de mestres e conselheiros, ela faz uma avaliação da última existência no plano material. Neste momento ela tem acesso às informações relativas ao planejamento que fez antes de encarnar pela última vez, assim como informações sobre vidas anteriores. O objetivo é avaliar o desempenho na última encarnação. É feito um “inventário” daquela existência. A alma avalia o que aprendeu, toma consciência das partes do aprendizado que teve maior dificuldade, dos objetivos que não conseguiu atingir e do que necessita, ainda, desenvolver ou aperfeiçoar. Com base nisto tudo e com a orientação destes conselheiros é elaborado o projeto de uma nova existência. Este projeto também pode ser chamado de missão da alma ou de destino.

A alma busca experiências que possibilitem o aprendizado espiritual. A alma para obter este aprendizado pode escolher se expressar num corpo físico através de maneiras bastante distintas. Algumas vezes utiliza um corpo de homem, outras um corpo de mulher, vivenciando os diferentes papeis e tendências sexuais, assim como as diferentes raças. Ela necessita experimentar a vida no plano físico a partir de todos os pontos de vista possíveis, por isso ela escolhe situações onde tenha que lidar com o poder ou com a falta dele, com o ser aceito ou o ser rejeitado, com o mandar ou o obedecer, com o ter ou o não ter, enfim, todas as possibilidades de relacionamento consigo própria e com as outras pessoas. A partir destas experiências aprende vivenciando medo, prazer, dor, alegria, tristeza, afeto, raiva, bondade, dúvida, entusiasmo, desamparo e centenas de outros sentimentos.

Antes de cada encarnação, com o auxílio de orientadores, a alma escolhe para exercitar o aprendizado as condições mais adequadas que possibilitem desenvolver o projeto de seu aperfeiçoamento: o local de nascimento, os pais, a situação econômica e social, as limitações, as facilidades, as tendências à doença, etc. Todas estas condições são cuidadosamente escolhidas para que ela possa melhor cumprir a sua missão.

Uma das condições básicas para o aprendizado da alma é o errar. Ela necessita do erro para que possa fazer as reflexões necessárias e desenvolver virtudes. É através dele que ela vai aperfeiçoar-se.

Se, por exemplo, numa determinada vida a alma escolheu aprender sobre o uso do poder, porém quando encarnada acabou usando ele de uma forma inadequada, abusando e interferindo no livre arbítrio de outras pessoas, provavelmente escolherá uma próxima existência onde terá a oportunidade de vivenciar a submissão e a obediência em situações em que se sentirá oprimida e limitada no seu poder pessoal. Desta maneira, ela terá a compreensão e o entendimento das causas e dos efeitos, o que possibilitará ela aprender e evoluir.

O que nós somos hoje, em termos de personalidade e caráter, é o produto do nosso passado e o que somos de melhor. Se hoje nós não nos sentimos confortáveis com a idéia de matar, enganar ou roubar outra pessoa é por que nós já tivemos este tipo de atitude no passado, já experimentamos, também, as consequências de tais atos e, assim, aprendemos e evoluímos.

A alma escolhe as experiências, os “conteúdos” que ela quer aprender a cada “ano letivo”. Nós não somos vítimas de ninguém, nem de Deus, nem da vida, nem de nenhum destino cruel.

O destino é o planejamento que a alma elaborou antes de encarnar. Como todo planejamento tem como objetivo dar um direcionamento para as experiências para que se possa tirar o melhor proveito da encarnação. Uma característica deste planejamento é que ele é flexível. Em cada encarnação a alma poderá cumprir integralmente com todos os objetivos pré-estabelecidos ou parcialmente, postergando alguns para serem cumpridos numa próxima existência. Isto é o livre-arbítrio.

Nós não temos que “pagar” nenhum Karma, nem temos que ser castigados por nenhum “pecado” que possamos ter cometido. Não existe nenhum deus carrasco que vai castigar e punir aquele que não obedecer as suas leis.

Se existe alguém que vai “cobrar” alguma coisa de nós, depois que o corpo morre, é a nossa própria consciência quando estivermos elaborando as avaliações da existência que acabamos de vivenciar.

Karma é o aprendizado que nós trazemos para desenvolver em cada existência no corpo físico. Nós somos os únicos responsáveis pelo nosso karma, pelo nosso aprendizado, pelo nosso desenvolvimento.

No trabalho de Terapia de Vidas Passadas para que a pessoa possa relembrar o passado é necessário ela ser levada a um estado de ampliação de consciência. Este estado alterado de consciência permite, também, em algumas situações o contato com mestres espirituais. Dos vários contatos que eu tive na minha prática profissional, através dos meus clientes, jamais encontrei um mestre que castigue, critique ou condene. Não nos julgam, apenas nos orientam. Eles já passaram pelo que nós estamos passando, por isso eles sabem das dificuldades. Geralmente eles falam pouco e apenas o necessário e nunca dizem que a pessoa “deve” fazer alguma coisa ou “não pode” fazer outras. As escolhas devem ser nossas. Não interferem no livre-arbítrio. Mesmo quando orientam ou explicam uma dificuldade do cliente fazem de uma maneira que não se percebe como uma crítica. Nos auxiliam nas nossas dificuldades dando-nos conforto e estímulo. Eles nos amam incondicionalmente, porém se para que nós possamos obter aprendizado tivermos que enfrentar um grande desafio eles não irão tirar a dificuldade do nosso caminho, mas estarão do nosso lado nos apoiando e nos fortalecendo, com amor e paciência.

Dentro deste contexto, a grande e principal terapia é a terapia da alma. Esta terapia acontece quando nós, que somos uma manifestação da nossa alma, estamos em um corpo físico, vivendo no planeta Terra e desenvolvendo o nosso aprendizado. Viver o dia-a-dia, enfrentar as dificuldades, as doenças, as situações que surgem no caminho. Este processo possibilita a superação das nossas limitações e o desenvolvimento de potencialidades e virtudes.

O aprendizado da alma depende das nossas transformações interiores, da mudança da maneira de vermos e de se relacionarmos com a vida, com os outros e com nós próprios.

É desta forma que a alma obtém o aprendizado e faz a sua terapia. A terapia de vidas passadas só irá acelerar este processo, facilitando a compreensão dos aprendizados e minimizando os desconfortos e dificuldades.